Como perder a barriguinha

como-perder-a-barriguinha

Como perder a barriguinha? A preocupação é a velha conhecida de sempre: o que fazer para esconder ou eliminar o famoso ‘pâncepis’, ou em português bem claro – a barriga volumosa? Você já deve ter notado que às vezes, do nada, ela parece ainda maior. Esse fator nem sempre é culpa da quantidade de comida, mas da qualidade do que entra no seu prato e consequentemente no seu organismo. Além dos conhecidos fatores hormonais e, dos dias que antecedem a menstruação, em alguns casos, a barriga parece ter vida própria.

A nutricionista Aldrey Sobrinho afirma que alguns alimentos demoram mais para serem digeridos e, por essa razão ficam por mais tempo no intestino fermentando. “Para camuflar ou acabar de vez com esse efeito para alcançar uma barriga mais sequinha, o jeito é escolher os alimentos que tem vida curta e passam mais rápido pelo intestino”, ensina.

Frutas, verduras, legumes e grãos integrais têm de estar no cardápio. Mas, fique atenta ao excesso de fibras. O ideal é acrescentá-las aos poucos em suas refeições, ok? Não adianta se entupir de granola, aveia, linhaça, folhas e tudo no mesmo dia, porque o excesso pode causar o efeito inverso do desejado, provocando cólicas e distensão abdominal.

Para que as fibras cumpram o seu papel de limpar e organizar a bagunça, lembre-se de beber dois litros de água por dia, que correspondem a oito copos. Moleza vai?

Conquiste a tão sonhada barriga sequinha

Uma das principais regras para amenizar o ‘barrigão’ é evitar líquidos durante a refeição, pois eles diluem os ácidos digestivos e, com isso os alimentos demoram mais para ser digeridos, provocando os gases e inchaço na região.

Conheça este cardápio preparado pela nutricionista e se possível cole-o na sua geladeira:

Dicas da nutricionista para chapar a barriga

Evite bebida com gás; refrigerante de todos os tipos, inclusive água com gás, porque alteram a mucosa intestinal, ocasionando o desequilíbrio da flora e estufam a barriga.

Doces, pães, bolachas feitas à base de farinha branca. Esses alimentos têm alto índice glicêmico, isto é, aumentam a gordura acumulada na região da barriga.

Carne vermelha: a proteína desse tipo de carne leva mais tempo para ser processada. O alimento permanece mais tempo no organismo e favorece a prisão de ventre e a formação de gases, aumentando a barriga.

Alimentos embutidos como salsicha, lingüiça, salame, mortadela: todos eles contêm muito sódio, que provoca ou aumenta a retenção de líquidos e provoca inchaço. O efeito você pode ver no mesmo dia.

Mastigue bem os alimentos até virar uma pasta. A digestão fica mais fácil e você evita o acúmulo de gases.

Troque o pão francês, o arroz branco e o macarrão pelos integrais, que são ricos em vitaminas do complexo B, fundamentais para manter o intestino saudável e funcionando numa boa. Além disso, têm o índice glicêmico baixo, que ajuda a diminuir a gordura abdominal.

Inclua feijão, lentilha, grão-de-bico e soja no seu cardápio. Boas fontes de magnésio auxiliam nos movimentos intestinais. Também adicione fibras às refeições para manter a flora intestinal saudável. Dica: deixe esses alimentos de molho de um dia para o outro, dentro da geladeira e despreze a água para reduzir o potencial de fermentação. Utilize água fresca para prepará-los.

Abuse das frutas, principalmente com casca, já que elas são ricas em água – bebida fundamental para hidratar o intestino.

Tome suco verde que ajuda a evacuar e a eliminar toxinas. Varie o tipo: hortelã, agrião, espinafre e couve. A couve, em especial é desintoxicante e é ótima para o intestino. Seja criativa e misture com frutas para deixar seu suco mais saboroso. Dica: laranja com couve, abacaxi com hortelã, maça com erva cidreira ou melão com agrião. Você vai aprovar.

Sementes de linhaça, gergelim, girassol e abóbora são boas fontes de gorduras saudáveis. Elas ajudam na eliminação de toxinas e têm boa quantidade de fibras e facilitam a evacuação. Também têm zinco e vitamina E, essenciais para a saúde intestinal.

Frutas oleaginosas como castanhas, nozes, amêndoas (sem sal) são ricas em selênio, um nutriente importante que auxilia na formação da enzima glutationa peroxidade. Ela age principalmente no intestino, protegendo-o dos radicais livres.

Tome água para hidratar o bolo fecal e facilitar a ida ao banheiro. Ela ajuda a eliminar as toxinas tanto pela urina quanto pelas fezes e evita o inchaço.

Pratique alguma atividade física que você goste de fazer. Caminhadas, esteira, natação são bons exercícios que se combinados a essa dieta podem ajudá-la na conquista da barriga sequinha.