Dança do ventre

danca-do-ventre

Ahh, a dança do ventre! Cá entre nós: você já ter sentido uma pontinha de inveja ao ver a performance da belíssima cantora Shakira, que causa frisson ao requebrar-se da cabeça aos pés com tamanha habilidade na dança do ventre. Que mulher não tentou copiá-la? Afinal, além de linda, Shakira mostra claramente que foi aluna dedicada às aulas. E bota dedicação nisso. As principais características da dança são os movimentos sensuais com o ventre e os pés que fazem mover os quadris. Os braços em gestos abertos e circulares chamam à atenção para os quadris e o rosto da dançarina. Por não ser um tipo de dança muito formal, como o balé clássico e outras, as aulas são oferecidas com diferentes propostas.

Há dois tipos de abordagem: a dança do ventre com enfoque artístico em que as alunas aprendem e se aperfeiçoam na técnica dos movimentos, e uma outra oferecida atualmente nas academias, que tem a intenção de melhorar o condicionamento físico.

Os ensinamentos são os mesmos nas duas modalidades, ou seja, a diferença entre elas fica a critério da ênfase dada pelo curso. Nas escolas de dança trabalha-se em uma aula com duração de até uma hora e meia, a forma do movimento e a qualidade técnica dele.

Já nas academias, a mecânica dos movimentos e a quantidade em que eles são realizados buscam o condicionamento físico.

Na prática, as alunas aprendem a técnica básica da dança de origem árabe e, em algumas escolas como a Khan El Khalili, são ensinadas danças folclóricas árabes, leitura musical, passando a diferenciar os tipos de ritmos e manusear acessórios como véus, espada e snuj (pratinhos de metal colocados nos dedos), etc.

A dança provoca barriga saliente?
Os instrutores da dança afirmam que nenhuma atividade física é capaz de aumentar a região abdominal, ainda mais essa dança que exercita e trabalha o abdômen. Para realizar os movimentos típicos da dança, ele precisa estar fortalecido. No entanto, esse fortalecimento vem com a prática da dança e boa alimentação para fazer toda a diferença.

Muito importante: é preciso ter em mente que toda e qualquer dança é antes de tudo, uma atividade física e, como tal exige certos cuidados. Uma consulta médica antes de iniciar qualquer prática de exercícios sempre é recomendada. Só o médico pode constatar se a pessoa possui restrições que possam a impedir de praticar qualquer uma destas danças.

Outro cuidado priomordial é lembrar de alongar sempre, mesmo que esteja praticando em casa. O alongamento antes de qualquer atividade física é fundamental para aquecer a musculatura, ativar a circulação e, assim, prevenir possíveis lesões, além de auxiliar para que os movimentos fiquem mais soltos e fáceis de executar.