Estrias

estrias

Biquíni de zebrinha ou seria uma tatuagem mal feita no corpo? Nenhum dos dois. São estrias! Linhas brancas incômodas e, que aparecem em qualquer pessoa que engorde além do que possam agüentar as fibras elásticas do corpo. De acordo com o dermatologista César Cuono, da Universidade de São Paulo (USP), nossas fibras elásticas são providas geneticamente de um grau de elasticidade, ou seja, quanto mais flexíveis elas forem, menor a chance de apresentarmos estrias e vice-versa.

Na adolescência, as estrias podem surgir nos seios ou no bumbum, como também no quadril, coxas, abdômen, braços, pernas e, às vezes, nas costas. Isso ocorre, por causa do aumento de tamanho dessas regiões, que fazem parte da transformação do corpo. Nesses casos, não há muito que fazer, já que não se pode impedir o crescimento da pessoa, mas é preciso ter consciência de que, qualquer aumento além do normal, pode provocar o surgimento de mais estrias.

O dermatologista afirma que existem muitos motivos para o aparecimento das malditas listrinhas que vão desde um rápido aumento de peso, acréscimo de massa muscular em pouco tempo, alterações hormonais, gravidez, ganho e perda de peso constante, obesidade, entre outros.

Como conseqüência da ruptura das fibras elásticas, a estria é na verdade uma cicatriz e, como tal, não desaparecerá mais. “Podemos realizar uma série de tratamentos com o intuito de diminuí-las, torná-las menos visíveis, mas jamais eliminá-las de forma definitiva. O jeito é preveni-las”, alerta Cuono.

Como prevenir?
Não engordar é a medida mais acertada de prevenção, embora a dica seja muito fácil de ser dita e difícil de ser seguida. Segundo o médico dermatologista, não adianta lambuzar o corpo todo com óleos e hidratantes se você engordar, porque as chances delas aparecerem só vão aumentar.

A gravidez é outro ponto de preocupação, porém o abdômen tem fibras com elasticidade diferente, justamente para proteção da pele. “Por isso, o que eu sempre aconselho às minhas pacientes é: fiquem apenas grávidas”, ressalta.

Na opinião do especialista, o melhor resultado em tratamento é a aplicação de peelings químicos com cosméticos à base de ácido retinóico, realizada em consultório com acompanhamento médico.

Manter a pele hidratada com produtos que contenham amêndoa, por exemplo, além da ingestão de água são atitudes fundamentais para a prevenção das estrias, de acordo com o médico.

Consultoria: César Cuono, dermatologista formado pela USP com 27 anos de experiência na área.
www.cesarcuono.com.br