Lipoescultura de Beverly Hills

Lipoescultura de Beverly Hills. Ela está no Brasil há pouco tempo, mas já é muito requisitada nas clínicas e consultórios especializados em cirurgia plástica. A técnica já é conhecida e aplicada nos Estados Unidos e veio para o Brasil pelas mãos do cirurgião plástico, Eduardo Sitnoveter. Segundo ele, a Lipoescultura de Beverly Hills, promete um corpo esculpido sem cortes e com recuperação mais rápida que as convencionais.

No procedimento, o cirurgião utiliza a técnica de cartografia topográfica, criada especialmente para esta cirurgia que consiste em desenhar na pele, um plano preciso de tratamento baseado nos depósitos de gordura. Numa mesa acolchoada e aquecida, a paciente permanece deitada confortavelmente durante a realização da técnica.

O profissional infiltra uma solução salina de lidocaína sobre os depósitos de gordura até deixá-los alagados, condição que inicia um processo de destruição do tecido adiposo e facilita a sua retirada por meio da cânula, posteriormente inserida em movimentos suaves e lentos.

Por ser uma intervenção leve não exige uma anestesia muito pesada. Em alguns casos, a paciente fica acordada e até conversa durante o processo. A opção mais comum é a anestesia local – solução de xilocaína com soro fisiológico.

Vale lembrar que como toda cirurgia plástica é preciso cautela e muita informação. Por isso, antes de optar por uma, pesquise muito sobre o assunto, converse com o seu médico e tenha em mente todos os benefícios e riscos existentes.

Fonte: Revista Plástica e Beleza – Foto: Reprodução