Mente sã, corpo são

mentesa_corposao

“Qual o tipo de emoção que você sente quando numa manhã de segunda-feira descobre ao acordar que está atrasado? Não dez minutos, mas imagine um atraso de quarenta minutos.

É um atrasão, né? Tá, e qual a primeira coisa que você pensa quando se dá conta disso? Pois bem, depois de perceber o atraso, e várias palavrinhas soarem feito grunhidos enquanto você se levanta, se debate, o coração dispara, o corpo reage, será que você consegue perceber quais são suas emoções e sentimentos?

Provavelmente não. Mas é a partir deles que haverão inúmeros reflexos durante todo o desenrolar do seu dia.

A cabeça vai a mil nas coisas que você precisa fazer antes de sair de casa, no ônibus que você já perdeu, no trânsito que provavelmente está pior do que na hora de costume, na desculpa que você talvez tenha que inventar pelo seu atraso, na entrega de algo que era para ser feita tal hora e agora não será cumprida, o cachorro que era para ter saído e não vai sair, enfim, podem ser tantas coisas.

Enquanto sua mente percorre todo o trajeto que deveria ser feito sem o atraso, o corpo vai sentindo a manifestação dos sentimentos que começam a despontar.

Sentimento de raiva, de euforia, de frustração, de angústia. Por meio dessas emoções nosso corpo vai tendo inúmeras reações.

Se uma situação como essa ocorresse todos os dias, você provavelmente já estaria doente. A somatização de sentimentos pesados pode facilmente levar você para a cama, gerando com isso uma patologia.

E mesmo de vez em quando apenas, tente perceber como você se sente quando esse dia está chegando ao fim. Recorde a sensação física, o cansaço, o corpo dolorido.

O que eu quero dizer com esse exemplo é que as emoções norteiam nosso comportamento o tempo todo!

E tudo aquilo que é sentido pelo seu corpo, pode ter sido alimentado por uma emoção, por um sentimento.

Pense agora em porque é tão bom estar apaixonado. Com a paixão nós alimentamos nosso corpo com sentimentos de alegria, felicidade, desejo.

Sentimentos que nos deixam mais vibrantes, com mais energia, com mais vontade de realizar coisas. Mas o que acontece se a paixão não vinga?

Se você sofre uma desilusão? Todo esse sentimento se transmuta em emoções mais densas e pesadas, que continuam sendo alimento para o seu corpo.

Portanto, a conclusão na qual quero chegar é, qual o alimento emocional que você está dando para o seu corpo hoje? Esse alimento é tão puro e leve como uma maçã?

Assim como seu corpo físico precisa de proteína, carboidrato, aminoácidos, o seu corpo emocional precisa de sentimentos.

Quanto melhor forem os sentimentos manifestados, melhor será a sensação física desencadeada em você.

E não é difícil. Quando algo começar a te desagradar, a opção de deixar que isso te prejudique é somente sua.

Se ao invés de se sentir irritado, bravo, ou qualquer outra coisa com o atraso, bastaria apenas dizer pra si: ok, agora já atrasei mesmo, vou fazer o que preciso, sair e deixar que as coisas aconteçam como tem que acontecer.

A vida realmente não para e o tempo não volta para que recuperemos o que já passou, isso vale até para um atraso. O importante é se dar conta disso e evitar passar por situações como essa repetidas vezes.

Agora uma curiosidade, você sabia que cada indivíduo possui ao todo seis corpos? Possuimos o físico denso, o físico energético, o emocional, o mental, o intuicional e aquele que pode ser chamado de monádico.

O denso você já sabe qual é, aquele que você enxerga, toca, cuida de forma mais perceptível, sabe como tem que tratar para mantê-lo saudável. Mas e os outros?

Tudo o que descrevi até agora foi falando sobre o seu corpo emocional. Mas para que você seja um indivíduo atento a união de seus corpos, o melhor seria conhecer-se um pouco mais para tomar consciência de cada um deles.

Saber como cuidar para que estejam sempre saudáveis. Porque ainda que você não perceba, basta um não estar bem para que todos os outros sintam o reflexo deste e muitas coisas desencadearem a partir disso!

A partir de já atentem-se ao alimento que você quer dar ao seu corpo emocional, e perceba o quanto os seus outros corpos vão te agradecer por isso!”

Texto de Cherrine Cardoso