Plástica no verão: eis a questão

No verão, a preocupação com o corpo e a estética são evidentes. Mas, algumas pessoas têm certo receio quando o assunto é fazer uma cirurgia plástica nessa época. A boa notícia é que a maioria dos procedimentos cirúrgicos podem ser feitos, contanto que, os cuidados com o excesso de sol e as longas viagens de carro depois do período pós-cirúrgico sejam redobrados. Quem deseja se preparar para aproveitar a estação mais esperada do ano e com o corpo em dia, deve respeitar o período mínimo para que o corpo desinche e se livre das manchinhas roxas.

Escolher o verão para realizar uma cirurgia não é um problema quando se tomam alguns cuidados para que os resultados não sejam comprometidos. “Antigamente, os pacientes só operavam no inverno, porque não corriam o risco de tomar sol nas cicatrizes e porque o frio reduz os edemas. Porém, com o clima adverso que temos hoje, faz frio no verão e calor no inverno, então não podemos mais prever em que época é melhor realizar um procedimento cirúrgico, com exceção dos peelings faciais”, explica o cirurgião plástico Alexandre Piassi Passos.

Para ele, tomando os devidos cuidados é perfeitamente possível passar por uma cirurgia ou lipoaspiração em qualquer período do ano. “O paciente deve ser orientado de que não é possível expor-se ao sol diretamente por 30 dias em nenhuma circunstância. Isto porque, as cicatrizes podem escurecer e as equimoses – aquelas manchas roxas da lipoaspiração ou da própria cirurgia – ficarão com aspecto de tatuagem com a ação do sol”, alerta.

De acordo com o cirurgião, isso ocorre, porque o ferro presente no sangue, concentra-se na equimose e, com a ação do sol, marca a pele fixando-se como uma tatuagem. “Quem toma muito sol depois de uma cirurgia também sentirá maior inchaço e latejamento. E tudo por causa da ação da vasodilatação”, comenta.

Por isso, sol moderado é aconselhável apenas 30 dias depois da cirurgia. “Brincamos com os pacientes que se eles quiserem ‘largatixar’ ao sol, que o façam somente após três meses, quando as cicatrizes já não correrão mais nenhum risco”. Já as viagens depois de alguns dias estão liberadas. “Se for viajar de avião e o trajeto curto, então poderá fazê-lo em três ou quatro dias sem qualquer problema.

A pressurização não causa nenhum dano à saúde. Já as viagens de carro só são aconselhadas depois de 15 dias, em média. É preciso cuidar dos pontos, para uma boa cicatrização”, aconselha. Com pequenos cuidados quem realizar cirurgias plásticas até o início de dezembro vai ficar bem no verão.

“Em média, uma lipoaspiração leva 30 dias para desinchar quase totalmente. Se o intuito for passar as férias de janeiro na praia, ainda dá tempo de eliminar aquela sobrinha indesejada. Mas, atenção: faça tudo com cautela, porque melhor do que eliminar uma dobrinha é manter a saúde em dia”, finaliza o cirurgião.

Foto: Reprodução