Transgênicos: polêmica à mesa

transgenicos-polemica-a-mesa

Os nutrientes do prato favorito do brasileiro, o saboroso arroz e feijão, podem estar com os dias contados. O grão de arroz milenar, assim como o milho e a soja estão sendo modificados em laboratórios dos Estados Unidos, Canadá, Brasil e de países do oriente. Enquanto os ambientalistas e pessoas que lutam para difundir uma vida mais verde (sustentável) consumindo alimentos orgânicos, ou seja, aqueles que são produzidos levando em consideração a preservação da natureza e o tempo de crescimento de cada espécie, empresas de biotecnologia levantam a bandeira de alimentos transgênicos.

Mas, afinal o que são os transgênicos?

São alimentos geneticamente modificados, ou seja, criados em laboratórios com a utilização de genes (parte do código genético) de espécies de diferentes vegetais, grãos, micróbios e animais. A razão? Segundo cientistas de várias partes do mundo, a modificação do código genético desses alimentos, como o arroz, viabilizaria a produção de colheitas maiores e mais confiáveis, além de outros benefícios à população.

Em contrapartida dos que apostam na tecnologia dos transgênicos, o diretor norte-americano do Instituto pela Tecnologia Responsável, Jeffrey Smith, lançou dois livros contra os alimentos geneticamente modificados: “Semente do Mal” e “Roleta Genética”. Jeffrey também viaja pelo mundo divulgando estudos sobre os riscos à saúde de alimentos geneticamente modificados, como óleos de milho e soja, que podem causar desde esterilidade a reações alérgicas, por exemplo.

A nutricionista Fabiana Aparecida Santos de Souza, do D.J. G Medicina Integrada, afirma que ainda é cedo para falar sobre os benefícios dos transgênicos, já que os produtos não estão disponíveis para o consumo. “Eu ainda não aprovo os alimentos transgênicos, porque precisamos de mais estudos que comprovem os seus benefícios à saúde humana”, enfatiza. Apesar de o Brasil já ter liberado seis variações de alimentos transgênicos: uma de soja e cinco de milho, ainda não foi divulgada a comercialização de nenhum produto no mercado. O arroz já esta sendo testado pela empresa Bayer e deve causar mais polêmicas nos próximos meses.

Vantagens e desvantagens dos transgênicos

Positivo:
aumento da produção da colheita; melhoria do conteúdo nutricional, desenvolvimento de alimentos com fins terapêuticos, maior resistência e durabilidade na estocagem e armazenamento;

Negativo:
Aumento de reações alérgicas; modificação do solo e, consequentemente plantas que não sofreram modificação genética podem ser eliminadas pelo processo de seleção natural. Aumento da resistência aos pesticidas, gerando maior consumo desse tipo de produto.

E o que diz o nosso parceiro Greenpeace?

Fique atenta amiga, pois de acordo com o Greenpeace, alguns possíveis fabricantes já teriam colocado produtos geneticamente alterados nas prateleiras de supermercados!Confira também as marcas que podem ou não usar matéria-prima transgênica, acesse: http://www.greenpeace.com.br

* Post da jornalista Fátima Martin que é colaboradora do Diário da Beleza e tem um blog super descolado que fala sobre planeta sustentável e cidadania: http://planetaemsuasmaos.blogspot.com

Consultoria: Fabiana Aparecida S. Souza, nutricionista, do D.J. G Medicina Integrada / Foto: iStockphoto